Nutrição Geral - Nutrição Clínica


Alimentação para uma gravidez saudável

De todos os factores que afectam a gravidez, a nutrição pode ser aquele mais facilmente alterado, com vista ao sucesso do desenvolvimento do feto. Uma gravidez saudável começa ainda antes da concepção.

O estado nutricional da mulher desempenha um importante papel no desenvolvimento do feto. Certos tipos de malformações congénitas e abortos espontâneos ocorrem frequentemente no início da gravidez, sendo por isso muito importante que se modifiquem certos factores de risco nesta altura.

O desenvolvimento do feto é muito influenciado pela alimentação, especialmente durante três a seis meses antes da concepção e nas primeiras semanas de gravidez. Acontece que muitas mulheres só descobrem que estão grávidas depois deste período ter passado. Nestes casos, é importante que se corrijam as deficiências nutricionais o mais depressa possível.

Quais os principais nutrientes a ter em conta?

Apesar de uma alimentação diversificada e equilibrada fornecer todos os nutrientes necessários à mulher grávida, existem alguns que merecem uma atenção redobrada sendo, para alguns eles, necessária uma suplementação, quer através do reforço de alguns alimentos, quer pelo recurso a suplementos nutricionais.

O ácido fólico tomado em doses elevadas algumas semanas antes da concepção e durante as primeiras 12 semanas de gravidez, reduz muito a risco da criança nascer com problemas congénitos da espinal-medula, de onde se destaca a espinha bífida. Para além de aumentar a ingestão de alimentos ricos em ácido fólico (legumes de folha verde escura, frutos secos e leguminosas), a mulher deve tomar um suplemento diário de 400 mcg de ácido fólico.

Sendo de uma grande facilidade de execução, nenhuma mulher deve deixar de tomar o ácido fólico receitado pelo seu médico, aumentando significativamente a probabilidade de dar à luz um bebé saudável, pelo menos ao nível da medula.

O ferro é outro mineral muito importante nesta fase, sendo necessário para a produção de sangue do feto e para a manutenção dos níveis de ferro da mãe. A ocorrência de anemia durante a gravidez é muito frequente, pelo que deve ter em conta a indicação do seu médico para tomar suplementos deste mineral.

Para além disso, a ingestão de carne, peixe, ovos, legumes verdes e fruta seca devem ser regulares, para garantir um correcto aporte deste mineral. A ingestão de vitamina C (presente nos citrinos, por exemplo) aumenta a absorção do ferro, quando são ingeridos na mesma refeição. Assim, assegure-se de que, após a refeição come uma laranja ou outro citrino ou 1 kiwi.

O fígado de animais é um dos alimentos mais ricos em ferro que existe. No entanto, não é aconselhável o seu consumo durante a gravidez uma vez que tem um teor elevadíssimo de vitamina A. Diversos estudos demonstraram que esta vitamina, tomada em excesso durante a gravidez, está relacionada com a ocorrência de malformações congénitas do feto.

Como é uma vitamina lipossolúvel, todo o excesso é acumulado no organismo. Para garantir uma ingestão adequada de vitamina A, deve recorrer-se a fontes de Betacaroteno (pró vitamina A), que o corpo transformará em Vitamina A, à medida das suas necessidades.

Boas fontes de betacaroteno são todos os frutos e legumes de cores vivas como a cenoura, os pimentos, o tomate, os espinafres, os alperces, a meloa, entre muitos outros.

O cálcio é muito importante para a formação correcta dos ossos e dos dentes do bebé, e é essencial para preservar essas estruturas na mulher grávida.

A ingestão diária de leite e seus derivados (iogurtes, queijo) em quantidades razoáveis assegura um aporte de cálcio adequado (1200 mg/dia).

Para que o cálcio seja absorvido correctamente é necessária a presença da vitamina D, existente nos peixes gordos, ovos e numa grande variedade de alimentos enriquecidos (leite, margarinas, cereais de pequeno-almoço, etc.). Normalmente não ocorrem deficiências desta vitamina, sobretudo se há uma exposição diária aos raios solares.

Finalmente, o zinco que também é fundamental para o crescimento do feto e para o desenvolvimento do seu sistema imunitário, deve estar assegurado na alimentação da grávida. Mais uma vez, uma alimentação equilibrada que contenha carnes magras, cereais integrais, queijo e frutos secos, satisfaz perfeitamente os requisitos deste mineral.

 

 

Abrir para Impressão... Enviar a um amigo... Topo Voltar