Nutrição Geral - Nutrição Clínica


Obstipação ou prisão de ventre

A prisão de ventre é um problema que afecta um grande número de pessoas. Na maioria das vezes, incluir mais fibras alimentar e água na alimentação, é suficiente para regularizar o trânsito intestinal.

A obstipação, vulgarmente conhecida como prisão de ventre, é muito frequente na população ocidental e associa-se a sua maior prevalência, à diminuição do consumo de fibra alimentar verificada na nossa sociedade. A diminuição do consumo de alimentos como a fruta, os legumes e os cereais pouco refinados, aliada a uma fraca actividade física, parecem ser os principais responsáveis.

O desconforto e incómodo causados pela prisão de ventre devem-se a uma diminuição do trânsito intestinal. Uma vez que a passagem das fezes ao longo do intestino grosso é muito lenta nestes casos, as fezes, que já são pouco volumosas, ainda se tornam mais duras e secas. O resultado é que o acto de defecar se torna pouco frequente (3 a 7 dias) e muitas vezes doloroso.

A regularidade da evacuação é muito variável de pessoa para pessoa e, se para umas, evacuar diariamente é normal, existem outras que o fazem com intervalos de 2 a 3 dias, sem que isso constitua um problema.

Frequentemente, por desconhecimento de como a alimentação pode ajudar a resolver a prisão de ventre, muitas pessoas tomam laxantes diariamente e durante longos períodos de tempo. Esta prática acaba por interferir com o normal funcionamento do intestino, que passa a depender destas substâncias para funcionar.

Os laxantes podem ser utilizados pontualmente para resolver um pequeno problema, mas deve ter cuidado para não criar habituação.

Numa alimentação baseada nos princípios básicos da alimentação saudável, dificilmente haverá lugar para a prisão de ventre. Alguém que raramente coma fruta, saladas, legumes cozidos ou em sopas, leguminosas (feijões, grão, ervilhas, etc.), e que coma apenas “carcaças” ou outro pão branco (refinado), nunca coma cereais ricos em fibras, certamente terá deficiência de fibra.

A fibra existe apenas nos produtos de origem vegetal, e dentro destes existem uns que a possuem em maior quantidade do que outros. A maior parte dos alimentos ricos em hidratos de carbono complexos (e pouco refinados) são óptimas fontes de fibras. Estas, bem como certos amidos, fermentam no intestino grosso e fornecem o volume necessário para estimular os músculos desse órgão, de modo que os alimentos digeridos no estômago percorram o intestino rapidamente.

Quais os alimentos que podem ser benéficos para evitar/tratar a prisão de ventre?

- Cereais integrais em grão ou transformados na forma de pão, massas, cereais de pequeno-almoço prontos a consumir e outros derivados. Se está habituado a comer sempre pão branco, substitua-o por pão de mistura e coma mais vezes pão integral e de outros cereais (centeio, aveia, pão do coração, da saúde, etc.). Os cereais de pequeno-almoço ricos em fibra são também uma óptima opção para variar as suas refeições.

- Fruta fresca e legumes verdes folhosos para além das vitaminas e minerais, adicionam fibras solúveis e insolúveis que ajudam a manter em movimento o conteúdo do intestino grosso, evitando que as fezes permaneçam aí muito tempo. É recomendado consumir 2 a 3 peças de fruta com casca por dia, bem como legumes no prato e sob a forma de sopa.

- Certos frutos secos como as ameixas e os figos são muito utilizados para tratar a prisão de ventre, pela sua riqueza em fibra. As ameixas secas possuem ainda uma substância que estimula os músculos da parede do intestino grosso, desencadeando um aumento da actividade do cólon e consequente aceleração do trânsito das fezes. Comer 3 a 4 ameixas secas e demolhadas em água, em jejum, ajuda nos casos de prisão de ventre mais resistentes. A água onde as ameixas estiveram demolhadas deve também ser bebida. Pode também cortar 2 ou 3 figos secos, e comê-los juntamente com os cereais.

- O consumo regular de iogurtes com Lactobacillus acidophilus e Bifidobactérais bifidus ajuda a regularizar a flora microbiana do intestino, o que pode ser útil quando a causa da prisão de ventre é uma diminuição da quantidade de bactérias benéficas.

- As sementes de linho (linhaça) são ricas em fibras e podem ser adicionadas a sopas, cereais com leite ou iogurtes, sumos de fruta, etc. Numa fase de forte prisão de ventre, coma 2 a 3 colheres de sopa de sementes por dia. Numa fase de prevenção, 1 a 2 colheres são suficientes para manter os intestinos a funcionar normalmente.

- A ingestão de alguns chás como o de sene e dente-de-leão é uma forma adicional de ajudar a funcionar um intestino mais preguiçoso. Tomar 2 a 3 chávenas de chá por dia pode ajudar.

Se a falta de fibra dietética é uma das principais causas da prisão de ventre, a falta de água agrava ainda mais esse problema e, normalmente, estes dois aspectos encontram-se em simultâneo.

Beber pelo menos 8 copos de água por dia, para além de outros líquidos, é fundamental para prevenir e tratar a prisão de ventre.

A prática regular de exercício físico é outro aspecto fulcral para evitar a prisão de ventre. Uma simples caminhada diária pode ser o bastante para melhorar a prisão de ventre de alguém que passa longos períodos sentado.

 

 

Abrir para Impressão... Enviar a um amigo... Topo Voltar