Nutrição Geral - Conheça os Alimentos e Nutrientes


Características nutricionais das ostras

Se são ou não um alimento afrodisíaco, isso talvez dependa muito da sua imaginação e vontade! Que as ostras são um alimento muito rico em minerais, vitaminas e pobres em calorias, isso é garantido.

Há muito que se atribuem poderes afrodisíacos às ostras, e já Casanova, o maior amante de todos os tempos, sabia alguma coisa acerca do valor nutricional deste alimento. Comia setenta ostras por dia e dizia ser essa a razão da sua superesistência.

As ostras são o alimento mais rico em zinco que existe. Cerca de seis ostras cruas ou cozidas no vapor fornecem a quantidade de zinco necessária para cinco dias.

O zinco é necessário para a produção de esperma e manutenção de da potência masculina, tendo fama de aumentar a libido. Sabe-se ao certo que uma carência de zinco provoca infertilidade e impotência.

Sendo ou não um alimento afrodisíaco, é certo que se trata de uma fonte de muitos nutrientes vitais.

As ostras são um marisco do grupo dos moluscos, tal como os mexilhões e as amêijoas.

São um alimento pobre em calorias e gordura e com cerca de 10% de proteínas.

Valor nutricional de 100g de ostras:

  • 57 Kcal
  • 6 g de proteína
  • 4 g de hidratos de carbono
  • 1,9 g de gordura

Verifica-se alguma controvérsia em relação ao teor de colesterol das ostras, bem como da maioria dos mariscos, mas actualmente os especialistas acreditam que o seu consumo não implica um agravamento dos problemas de colesterol elevado no sangue. Vários estudos efectuados revelaram que o consumo regular de marisco faz inclusivamente baixar os níveis de colesterol LDL (mau colesterol).

Apesar do conteúdo de colesterol ser elevado no marisco, a quantidade de gordura é muito pequena. Além disso, o colesterol destes alimentos não é facilmente absorvido pelo organismo.

Tal como os peixes gordos, as ostras possuem ácidos gordos essenciais (ómega-3 e ómega-6), ainda que em menor quantidade, que protegem contra os problemas cardiovasculares.

As ostras são óptimas fontes de vitamina B12, necessária à formação dos glóbulos vermelhos e à manutenção de um sistema nervoso saudável.

São também boas fontes de outras vitaminas do complexo B como a niacina, tiamina e riboflavina.

Quanto à riqueza em minerais, para além da grande quantidade de zinco, as ostras são boas fontes de cobre, ferro, potássio e selénio.

O selénio é um mineral com propriedades antioxidantes, desempenhando um papel importante na prevenção do cancro, ao lutar contra os radicais livres de oxigénio.

Pessoas que sofram de gota ou ácido úrico elevado no sangue devem evitar comer frequentemente, e em quantidade, ostras e marisco de uma forma geral, pois são alimentos ricos em purinas (substâncias que elevam a taxa de ácido úrico no sangue).

Todos os tipos de marisco são alimentos que se degradam com muita facilidade pelo ataque de bactérias. Deve por isso ter alguns cuidados para evitar uma intoxicação alimentar.

Estes molusco é, normalmente, consumido cru e temperado com sumo de limão.

Tente comer as ostras no próprio dia em que as comprar, mas caso não seja possível, conserve-as no frigorífico entre 0 e 5ºC, e consuma-as no máximo 2 dias depois.

Verifique se as ostras estão fechadas antes de as consumir. Não coma as ostras que não se abrirem facilmente com a ponta da faca.

Compre sempre as ostras em estabelecimentos de confiança, onde possa saber qual a sua origem (o mais seguro é aquele que foi criado para fins comerciais em águas limpas).

Uma água poluída pode contaminar grandemente as ostras, uma vez que elas se alimentam filtrando a água do mar. As bactérias e os metais pesados depositam-se nos seus tecidos à medida que a água é filtrada. Daí a importância de saber se as ostras (e todo o marisco) provêm de uma zona não poluída.

 

 

Abrir para Impressão... Enviar a um amigo... Topo Voltar