Nutrição Geral - Conheça os Alimentos e Nutrientes


Os frutos secos e suas propriedades nutricionais

Os frutos secos estão divididos em duas categorias distintas: as oleaginosas (nozes, amêndoas, pinhões, cajus, pistácio, etc.) e os frutos secos propriamente ditos ou desidratados (passas, ameixas, alperces, tâmaras, etc.).

O Natal não seria completo sem a tradicional mesa repleta de doçaria e gastronomia festiva, com os frutos secos a desempenharem um importante papel. Religiosamente expostos nas nossas mesas, os frutos secos merecem uma atenção especial, pois além de saborosos são, ao mesmo tempo, benéficos pelas suas características nutricionais.

Os frutos secos estão divididos em duas categorias distintas: as oleaginosas (nozes, amêndoas, pinhões, cajus, pistácio, etc.) e os frutos secos propriamente ditos ou desidratados (passas, ameixas, alperces, tâmaras, etc.).

Alterações nutricionais com a secagem…

Devido à secagem, a fruta desidratada é, em tudo, mais concentrada que no seu estado fresco, por conter muito menos água. No entanto, a perda de algumas vitaminas solúveis em água como a vitamina C, é inevitável. Em compensação, a perda de água aumenta bastante a sua concentração em açúcar, tornando-a muito mais calóricas.

Por exemplo, enquanto 100g de ameixas frescas fornecem 50 kcal, o mesmo peso de ameixas secas fornecem cerca de 4 vezes mais calorias! Assim, a fruta desidratada difere nutricionalmente da fruta fresca, não sendo, por isso, um substituto equilibrado desta.

Além do açúcar, outros nutrientes presentes na fruta fresca também aumentam de concentração; é o caso de certas vitaminas e minerais. Os frutos secos são uma excelente fonte de fibra que tem como principais funções ajudar no funcionamento do intestino (prevenção da obstipação) e da. Vesícula biliar (redução dos níveis de colesterol).

A fruta desidratada é também muitas vezes utilizada como ingrediente na doçaria típica desta época. É o caso dos queijos de figo, dos figos cheios e das estrelas de figo com amêndoa, entre outros.

É, contudo, necessário ter atenção a alguns frutos secos demasiadamente processados pela indústria, a qual pode contribuir para alterar bastante o seu valor nutricional, como por exemplo tâmaras brilhantes que são embebidas em xarope de açúcar, algumas cristalizadas e outras glaceadas.

Alguns dos frutos são untados com óleo para não ficarem colados e desidratados (todos estes processos aumentam o seu valor calórico).

Para prolongar a sua conservação, a alguns destes frutos é adicionada uma grande quantidade de conservantes. Apesar de existir legislação que regulamenta a quantidade de conservantes a serem adicionados, estes podem, no entanto, provocar alergias em pessoas já predispostas. Por isso há que ler sempre a rotulagem!

Em relação à conservação, é necessário haver algum cuidado com a fruta desidratada; armazenando-as num local seco e fresco já que têm tendência a mofar com facilidade. Alguns destes bolores produzem substâncias tóxicas que podem ser cancerígenas para o fígado, por isso é importante consumir frutos secos perfeitamente isentos destas toxinas.

Os frutos secos primam pela sua riqueza gustativa e pelas suas vantagens nutricionais, podendo assim, ser incorporados ocasionalmente na nossa alimentação de forma a enriquece-la nutricionalmente. Mas atenção, há que saber integrá-los com "peso e medida", pois são alimentos bastante calóricos ricos em açúcar (ou em gordura, no caso dos frutos secos oleaginosos).

 

 

Abrir para Impressão... Enviar a um amigo... Topo Voltar