Nutrição Geral

Liberte-se dos gases

A flatulência resulta da acumulação excessiva de gases no tubo digestivo e provoca uma sensação desagradável de inchaço abdominal. A alimentação é quase sempre a responsável, mas, também ela, capaz de aliviar esses sintomas.

Todas as pessoas produzem gases no intestino, resultado da acção das bactérias intestinais sobre os hidratos de carbono não digeríveis e sobre as proteínas. Esses gases são posteriormente expelidos pelo ânus, quando os músculos do recto relaxam.

Expelir gases intestinais é normal, frequente e necessário! Se para muitas pessoas essa situação passa desapercebida, para outras, mais sensíveis e onde a produção de gases é muito superior, os gases acumulados podem ser dolorosos e causar grande desconforto.

A flatulência, por si só, não é considerada uma doença nem o sintoma de nenhuma doença intestinal séria. No entanto, quando a produção de gases é excessiva e com acentuado desconforto abdominal, pode ser sintoma de outros problemas como prisão de ventre crónica, intolerância à lactose ou ao glúten (doença celíaca), úlcera de estômago ou doença de Crohn.

O facto de uma pessoa comer muito depressa em alturas de stress, pode fazer com que engula ar em excesso, que passa para o intestino e provoca flatulência.

As reacções químicas que ocorrem após a ingestão de certos alimentos são a causa mais comum da flatulência.

Porque certos alimentos provocam mais gases

Alguns alimentos contêm hidratos de carbono complexos, que não são completamente digeridos no estômago e no intestino delgado, pelas enzimas digestivas. É o caso da estaquiose e da rafinose, dois hidratos de carbono presentes em grande quantidade nas leguminosas, nos brócolos, nas couves em geral e na cebola. Estas substâncias não digeridas, ao chegarem ao intestino grosso, são decompostas pelas bactérias presentes, e os gases são o resultado desta acção bacteriana.

Outros alimentos que normalmente aumentam a produção normal de gases no intestino são os queijos muito curados e gordos, o açúcar e os doces feitos com açúcar, a batata, os ovos e as bebidas gasosas (refrigerantes com gás, cerveja, etc.)

Como diminuir a produção e o desconforto dos gases?

Uma vez que as leguminosas são alimentos muito benéficos em vários aspectos (bons demais para não serem ingeridos!), uma forma de evitar esta excessiva produção de gases passa por deixá-las de molho em água durante uma noite, antes de serem cozinhadas, de modo a reduzir os açúcares indigeríveis.

Uma medida eficaz para reduzir a produção de gases, após a ingestão de determinados alimentos, é juntar determinadas ervas ou especiarias, que ajudam a digerir certos alimentos como as couves e a leguminosas.

O alecrim, a salva, o tomilho, o funcho e as sementes de alcaravia, são muito benéficas na redução dos gases provocados por aqueles alimentos e podem ser colocados a cozinhar juntamente com eles.

Os chás de hortelã-pimenta, de camomila e de funcho ajudam a aliviar a flatulência e devem ser bebidos após as refeições que contenham alimentos referidos como grandes produtores de gases.

O consumo de raiz de gengibre fresca (ou em comprimidos) pode também ajudar a aliviar a flatulência por ser um bom auxiliar da digestão.

O consumo regular de alimentos como os iogurtes Bio, que contêm probióticos (bactérias benéficas que ajudam a normalizar a flora bacteriana do intestino grosso) ajuda a controlar o funcionamento das bactérias formadoras de gases. Assim, ingerir diariamente iogurtes que contenham biphidus activo ou lactobacilus acidophilus é uma medida altamente preventiva para a flatulência.

 

 

Abrir para Impressão... Enviar a um amigo... Topo Voltar